[Talk-br] Hierarquia das rodovias

Vítor Rodrigo Dias vitor.dias em gmail.com
Quinta Maio 16 22:45:35 UTC 2013


Uma fonte razoável de dados e que está disponível para o público, embora
não seja 100% confiável, são os mapas de setores censitários do IBGE,
disponíveis em seu FTP. É possível usar esses dados nos mapas?


Vítor Rodrigo Dias
Revisor de textos
Tradutor port/ing/port e port/esp/port
Telefone: (31) 9895-3975 - TIM


Em 16 de maio de 2013 19:44, Vítor Rodrigo Dias <vitor.dias em gmail.com>escreveu:

> Ah sim, agora entendi! Muito obrigado pela explicação!
>
> Abraços,
>
>
> Vítor Rodrigo Dias
> Revisor de textos
> Tradutor port/ing/port e port/esp/port
> Telefone: (31) 9895-3975 - TIM
>
>
> Em 16 de maio de 2013 19:14, Fernando Trebien <fernando.trebien em gmail.com>escreveu:
>
> Tem uma explicação sobre o uso dos dados do Google no meio do FAQ do
>> OSM:
>> http://wiki.openstreetmap.org/wiki/FAQ#Why_don.27t_you_just_use_Google_Maps.2Fwhoever_for_your_data.3F
>>
>> "They [Google, NAVTEQ, TeleAtlas], in turn, have obtained some of this
>> data from national mapping agencies (such as the Ordnance Survey).
>> Since they've made significant financial investments to gather this
>> data, these organisations are understandably protective of their
>> copyright. If you collect data from Google Maps in this way, you are
>> creating a "derived work". Any such data retains the copyright
>> conditions of the original. In practice, this means your data is
>> subject to the licensing fees, and contractual restrictions, of these
>> map providers. That's exactly what OpenStreetMap is trying to avoid."
>>
>> Ou seja: legalmente, o mapa não pode ser usado para absolutamente
>> nada. Talvez você possa tirar uma dúvida ou outra, mas não pode sair
>> copiando o nome de todas ruas, ou a sua classificação, ou o nome dos
>> bairros, das praças. As imagens de satélite também não podem ser
>> usadas para traçar o mapa do OSM. Já o Google Street View até pode ser
>> usado para "lembrar algum detalhe de um lugar por onde você passou", o
>> que é bastante subjetivo, então é bom ter cuidado:
>>
>> https://help.openstreetmap.org/questions/710/can-i-use-google-streetview-to-help-create-maps
>>
>> Sem dúvida alguma, tudo que contiver a tag source=Google será mais
>> cedo ou mais tarde removido do mapa. E tudo que é removido legalmente
>> acaba removendo também os changesets subsequentes, podendo jogar fora
>> o trabalho de (talvez muitas) outras pessoas.
>>
>> Quanto à classificação das vias, acho que as definições no wiki são um
>> tanto ambíguas. Eu comecei a pensar sobre isso comparando com outros
>> países (
>> http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Highway:International_equivalence),
>> e depois de considerar o tipo de acesso típico a cada via
>> (
>> http://wiki.openstreetmap.org/wiki/OSM_tags_for_routing/Access-Restrictions
>> ),
>> de olhar o mapa de outras cidades (especialmente Rio de Janeiro, que é
>> a cidade mais bem mapeada no Brasil no OSM), acabei propondo o
>> seguinte método há algum tempo atrás:
>>
>> http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Pt-br:How_to_map_a#Categoriza.C3.A7.C3.A3o_de_vias_.28outra_sugest.C3.A3o.29
>>
>> Apliquei isso em Porto Alegre (onde eu moro), especialmente para
>> decidir o que é primária (estava tudo errado) e o que é terciária
>> (faltava essa classificação em toda a cidade).
>>
>> A proposta não é muito diferente do que o wiki diz hoje (em inglês ou
>> em português) ou do que o Gerard propôs, mas acho que há menos espaço
>> para confusão. Ainda preciso atualizar o texto com a distinção entre
>> "highway=living_street" e "service=alley" (nosso conceito brasileiro
>> de "beco" não é exatamente o mesmo descrito no wiki, que parece mais
>> com o de "alamedas" e cuja característica principal é o "acesso a
>> serviços") e a distinção entre footway, pedetrian e path, e entre path
>> e track (discussões recentes na comunidade internacional).
>>
>> Uma prévia pouco estruturada: footway (literalmente, "via para passar
>> à pé"), muitos defendem, geralmente é um caminho estreito pavimentado
>> e urbano; pedestrian é um caminho largo que muito provavelmente foi
>> aberto a veículos um dia e depois fechado para uso exclusivo por
>> pedestres (ex.: as ruas recentemente convertidas para o turismo no
>> centro de Paris); path (literalmente, "caminho") é o oposto:
>> geralmente não pavimentado e em meio rural, ou numa área verde (como
>> um grande parque no meio da cidade). Path não costuma ser usado para
>> caminhos usáveis por veículos motorizados, para os quais o ideal é
>> usar track (literalmente "trilha"). Essas traduções são similares, e
>> as pessoas chamam de "trilha" algumas coisas que são path e de
>> "caminho" algumas coisas que são track, até mesmo em inglês, e para
>> aumentar a confusão todos os caminhos podem ser combinados com tags de
>> acesso (foot=yes/no, motor_vehicle=yes/no) e de superfície
>> (surface=sand, surface=asphalt). Os perfis do JOSM sugerem que paths
>> normalmente são usados para fazer "hiking" (normalmente traduzido como
>> "trilha" !!, talvez pela semelhança com "trekking"), enquanto que
>> tracks podem ser usados para "hiking" e também "mountain biking".
>>
>> Nada além da subjetividade impede que se use "path" para mountain
>> biking, ou "track" para um caminho estreito para pedestres no meio da
>> cidade, mas alguns sistemas de roteamento (como o OSRM) consideram que
>> track é usável por carros. Ou seja, a escolha é livre, mas há
>> consequências, particularmente para o planejamento de rotas (para
>> carros, para pedestres, para ciclistas, para cadeirantes, etc.), e
>> também para a compreensão visual do mapa.
>>
>> Sei que serei um pouco criticado (pois a comunidade defende que não é
>> certo mapear pensando no aspecto visual do mapa), mas talvez ajude
>> pensar no estilo visual default do Mapnik como indicador da intenção
>> de cada coisa. O Mapnik parece ter sido feito para essa descrição
>> "prévia": tracks, normalmente não pavimentadas, são desenhadas como
>> uma linha marrom, sólida e de espessura média (menos que outras ruas,
>> mais do que footway e path). Pedestrian é larga como uma rua, mas é
>> cinza. Living street também é larga, mas é mais escura, sugerindo que
>> é mais difícil passar. Já footway é vermelha, fina e pontilhada,
>> chamando a atenção num fundo complexo como o de uma cidade, e path é
>> fina e tracejada, mais compatível com o fundo verde e pouco complexo
>> de ambientes rurais.
>>
>> 2013/5/16 Vítor Rodrigo Dias <vitor.dias em gmail.com>
>> >
>> > Entendido! Vou procurar usar melhor os changesets e explicitar que se
>> tratam, pelo menos os mais recentes, de edições nas LMG-xxx. E passarei a
>> usar outras fontes que não o Google. Obrigado pelos toques!
>> >
>> > Abraços,
>> > Vítor
>> >
>> >
>> > Vítor Rodrigo Dias
>> > Revisor de textos
>> > Tradutor port/ing/port e port/esp/port
>> > Telefone: (31) 9895-3975 - TIM
>> >
>> >
>> > Em 16 de maio de 2013 17:16, Gerald Weber <gweberbh em gmail.com>
>> escreveu:
>> >>
>> >> Oi Vitor
>> >>
>> >> 2013/5/16 Vítor Rodrigo Dias <vitor.dias em gmail.com>
>> >>>
>> >>> Sim, sim, já descobri inúmeros erros de nomes e referências no
>> Google! Apesar disso, ainda é uma fonte razoavelmente boa para se seguir em
>> relação aos trajetos das estradas.
>> >>
>> >>
>> >> Nós não temos autorização para usar o Google. Por isto evite.
>> >>
>> >>>
>> >>>
>> >>> Tenho colocado source=DER-MG em combinação com tudo o que eu tenho
>> usado pra definir aquela estrada.
>> >>>
>> >>> As referências que tenho usado em minhas edições - já coloquei todas
>> as AMG e estou no meio do caminho das LMG é o seguinte:
>> >>>
>> >>> MG-xxx: se pavimentada, primary; se não, tertiary.
>> >>> LMG-xxx e AMG-xxx: se pavimentadas, secondary; se não, tertiary.
>> >>
>> >>
>> >> Parece razoável, mas só dá para bater o martelo se fizer a vistoria
>> (survey) do trecho.
>> >>
>> >>>
>> >>> A posteriori poderei voltar e tentar fazer uma revisão mais precisa a
>> partir de suas orientações.
>> >>>
>> >>
>> >> por enquanto é somente uma proposta.
>> >>
>> >> E por favor procure ser mais explícito quando for trocar as
>> classificações, eu vi seus changesets (por exemplo
>> http://www.openstreetmap.org/browse/changeset/16155591) não trazem uma
>> explicação do que foi feito.
>> >>
>> >> Isto é importante pois quem vem depois de você pode ter uma idéia
>> diferente e trocar tudo de novo . Então é essencial colocar o comment mais
>> descritivo, usar source= e usar note= (ou note:pt se for em português).
>> >>
>> >> um grande abraço
>> >>
>> >> Gerald
>> >>
>> >>
>> >> _______________________________________________
>> >> Talk-br mailing list
>> >> Talk-br em openstreetmap.org
>> >> http://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>> >>
>> >
>> >
>> > _______________________________________________
>> > Talk-br mailing list
>> > Talk-br em openstreetmap.org
>> > http://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>> >
>>
>>
>>
>> --
>> Fernando Trebien
>> +55 (51) 9962-5409
>>
>> "The speed of computer chips doubles every 18 months." (Moore's law)
>> "The speed of software halves every 18 months." (Gates' law)
>>
>> _______________________________________________
>> Talk-br mailing list
>> Talk-br em openstreetmap.org
>> http://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>
>
>
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: <http://lists.openstreetmap.org/pipermail/talk-br/attachments/20130516/1bd4c406/attachment.html>


Mais detalhes sobre a lista de discussão Talk-br