[Talk-br] Hierarquia das rodovias

Fernando Trebien fernando.trebien em gmail.com
Sábado Maio 18 14:16:11 UTC 2013


Ok, então concordamos que uma diferenciação visual é importante, e eu
vou torcer pra que esse pedido seja implementado logo (com sorte
dentro dos próximos 2 anos). Pelo visto a idéia dos ajustes ao
renderer não é muito popular, então vou tentar re-escrever a regra que
eu propus anteriormente.

Para isso, acho que é necessário diferenciar mais claramente uma via
"não-track" que seja de terra de uma via "track". Um caso que me
parece ambíguo é a diferença entre uma via "tracktype=grade1" e outra
que tivesse "surface=sand" e "highway=unclassified".

Nelson, todos os exemplos de trilha que você mostrou me parecem ser
"tracktype=grade3" pela imagem de satélite; para saber se são "grade1"
eu teria que ver uma foto de perto do chão, mas acredito em você.

Já o exemplo inicial que você disse que não era trilha me parece ter
algumas características que o diferenciam: é uma via larga, longa, sem
curvas e sem obstáculos. As trilhas que você apresentou são estreitas
(só passa 1 carro por vez sobre o espaço da trilha), curvilíneas,
curtas, relativamente pouco mantidas e aparentemente pouco trafegadas
(há grama entre as marcas dos pneus). No entanto, se fosse uma
tracktype=grade1, considerando a foto do wiki, penso que a única
distinção clara com o seu primeiro exemplo seria a largura da via.
Veja na descrição do wiki que elas são "heavily compacted hardcore"
(http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Key:tracktype). Talvez você
encontre um dia uma via estreita, de terra compactada, que você não
julgue como trilha. Então, qual o seu critério?

Se o critério for algo como a relação de importância da via em
comparação com as vias próximas, ou a sua "hierarquia aparente", já
estaria melhor, mas ainda um pouco ambíguo. Se for a largura em
combinação com o "tipo de terra" (compactada ou não, com pedras ou
não, etc.), melhor ainda, pois é um critério mais fácil de medir.

Não queria divergir muito da discussão principal, mas o OsmAnd sempre
me deu rotas inexplicavelmente distantes das rotas ótimas, mesmo antes
de eu classificar as vias da minha cidade e de eliminar os erros no
mapa que afetavam o roteamento. Uso principalmente o OSRM (mas não é
para celular), cujo peso para vias do tipo "track" é parecido com o de
outras vias (um pouco menor que uma "residential", mas não tanto
quanto "living_street" por exemplo). Cito também o Mapfactor Navigator
(que é para celular Android e usa os mapas do OSM) que tem pesos
configuráveis mas inicialmente parecidos com os do OSRM. Acho que
devemos considerar parcialmente os produtos do mapa ao mapear, ou
seja, considerar o efeito tanto no OsmAnd quanto no OSRM (e, como
defendi antes, um pouco também no rederer), mas eu tenho a impressão
de que o OsmAnd, apesar de conveniente, não usa um algoritmo que
produz rotas ótimas, como o algoritmo de Dijkstra (sem heurísticas),
ou o de contração de hierarquias, que o OSRM usa, então teria cuidado
ao fazer alterações no mapa voltadas a fazer esse navegador específico
funcionar melhor.

2013/5/18 Gerald Weber <gweberbh em gmail.com>:
>
>>
>> Mapa em papel eu me lembro há muito tempo que alguns diferenciavam as
>> vias de terra, mas qual mapa comercial digital (dos mais conhecidos)
>> que exibe o tipo de pavimentação da via? Eu não conheço.
>>
>
> Hum, quais mapas digitais diferenciam a pavimentação? Os mapas do
> Tracksource por exemplo, mas estes estão restritos a aparelhos Garmin ou
> aplicativos capazes de entender mapas em formato  Garmin. Eu penso que seja
> essencial que todos os renderizadores mostrem vias pavimentadas de maneira
> diferenciadas de vias não-pavimentadas.
>
>>
>> > Se não vamos considerar o renderer, então eu acho que precisaríamos:
>> > - mudar o estilo padrão do Mapnik (acho muito díficil)
>>
>> Seria isso https://trac.openstreetmap.org/ticket/1447
>
>
> É um pedido aberto há quatro anos!! Acho que nós nos deveríamos manifestar.
> Saber se uma estrada é pavimentada ou não considero muito mais importante do
> que saber se é primary ou secondary, ainda mais à luz das incertezas que eu
> vejo em nossa discussão.
>
>>
>> > Pensemos de outra forma: qual a utilidade prática de não usar track
>> > numa estrada não-pavimentada?
>>
>> Vou dar um exemplo: o navegador que utilizo (osmand) dá um peso muito
>> baixo para tracks. Basicamente vias pavimentadas > não pavimentadas >
>> track.
>> Se eu for utilizá-lo com essa classificação proposta (todas vias não
>> pavimentadas seriam tracks), eu poderia acabar sendo instruído a pegar
>> algumas trilhas/vias muito ruins enquanto poderia muito bem trafegar
>> por vias de terra melhores (em uma região onde não existe vias
>> pavimentadas, por exemplo).
>>
>> Imagino que você também concorda com esse exemplo (e com a
>> diferenciação de estradas de terra com trilhas), certo?
>
>
> Há muitas vias residenciais não-pavimentadas também, penso que seja
> igualmente importante marcá-las com tag surface e não como track.
>
> abraço
>
> Gerald
>
> _______________________________________________
> Talk-br mailing list
> Talk-br em openstreetmap.org
> http://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>



-- 
Fernando Trebien
+55 (51) 9962-5409

"The speed of computer chips doubles every 18 months." (Moore's law)
"The speed of software halves every 18 months." (Gates' law)



Mais detalhes sobre a lista de discussão Talk-br