[Talk-br] Prefeitura de São Paulo declara bases sem restrição de licença

Fernando Trebien fernando.trebien em gmail.com
Sábado Julho 19 15:22:37 UTC 2014


Imagino que seja uma quantidade massiva de informações, certo? Tem
duas abordagens possíveis:
1. Estudar os mecanismos de conflação (e os seus problemas) pra tentar
automatizar a tarefa. Andei lendo sobre o RoadMatcher (usado no Canadá
em 2009) mas não tive tempo de testar pra saber dos problemas (e já
sei que tem alguns).
2. Fazer como os holandeses e chamar gente pra fazer a importação manualmente.

A segunda opção geralmente estimula o envolvimento no OSM e com isso o
crescimento da comunidade.

Até onde eu lembro, o ideal não é excluir coisas do OSM e introduzir o
novo mas sim adaptar o que já existe no OSM para ficar igual ao novo.
Isso é um trabalho enorme, mas quebrado em partes e feito aos poucos,
dá pra fazer. Ajuda quebrar não só por região mas também por tema
(ex.: primeiro ruas, depois endereços, depois escolas, etc.).

Um subideal (que talvez seja possível, dependendo dos interesses da
comunidade) é sim excluir coisas do OSM e depois reintroduzir aquilo
que foi excluído e que não consta no novo dataset. Na verdade, eu acho
essa uma abordagem muito mais rápida quando a fonte de dados é muito
mais rica do que o OSM. Também é uma abordagem que evita os problemas
da conflação.

2014-07-15 12:48 GMT-03:00 Vitor George <vitor.george em gmail.com>:
> Obrigado, Paulo!
>
> Eu nunca fiz uma importação, alguém tem recomendações?
>
> Pelo que investiguei, a maneira mais fácil de fazer a conflação é pelo JOSM,
> abrindo o shapefile no plugin OpenData e movendo os dados para outra camada.
> É por aí?
>
>
> 2014-07-15 7:38 GMT-03:00 Paulo Carvalho <paulo.r.m.carvalho em gmail.com>:
>
>> Muito legal, Vítor.  A maior cidade do país estava precisando de um boost
>> assim.
>>
>> Parabéns!
>>
>>
>> Em 14 de julho de 2014 22:38, Vitor George <vitor.george em gmail.com>
>> escreveu:
>>>
>>> Oi pessoal,
>>>
>>> Hoje tivemos uma resposta da prefeitura de São Paulo a respeito de bases
>>> que ela publicou no seu site. Lá não tinha nada sobre licença, e aí uma
>>> colega abriu um pedido de informação e conseguiu a confirmação de que só é
>>> necessária atribuição, como o IBGE.
>>>
>>> São bases bem completas, e acho que algumas partes podem ser importadas e
>>> outras serem usadas como referência. No caso do Geolog, a numeração poderia
>>> ser importada, e o restante poderia estar em um layer de referência
>>> hospedado como o que o Tiago fez dos pdfs do IBGE.
>>>
>>> Tem uma outra base que é um mapa do Plano de Manejo de Águas Pluviais de
>>> São Paulo que contém a geometria e nomes de cursos d'água da cidade, e
>>> poderia ser importada em grande parte.
>>>
>>> Criei duas páginas no wiki para discutir a importação das bases, vejam
>>> lá:
>>>
>>> https://wiki.openstreetmap.org/wiki/Geolog_PMSP_Import
>>> https://wiki.openstreetmap.org/wiki/PMAPSP_Import
>>>
>>> Abraço,
>>> Vitor
>>>
>>> _______________________________________________
>>> Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>
>>
>> _______________________________________________
>> Talk-br mailing list
>> Talk-br em openstreetmap.org
>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>
>
>
> _______________________________________________
> Talk-br mailing list
> Talk-br em openstreetmap.org
> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>



-- 
Fernando Trebien
+55 (51) 9962-5409

"Nullius in verba."



Mais detalhes sobre a lista de discussão Talk-br