[Talk-br] RES: RES: OSM - CNEFE

Peter Krauss ppkrauss em gmail.com
Quinta Outubro 1 22:49:09 UTC 2015


Oi, só alguns lembretes/sugestoes pro Lucas, que talvez possam interessar,

Em 1 de outubro de 2015 22:01, Lucas Ferreira Mation <lucasmation em gmail.com>
escreveu:

> (...) O ambiente de trabalho que tenho a disposição tem R e Postgresql,
>

parece que o grosso está em PostgreSQL+PostGIS: que tal usar o R como parte
do SQL? fica *embedded* como PL/R,

http://www.joeconway.com/plr/
http://www.postgresql.org/docs/9.3/static/external-pl.html
http://www.postgresql.org/docs/9.3/static/xplang-install.html


> .... um script (...) que faça a correção fonética
>
>
O PostgreSQL roda o melhor deles,
http://sourceforge.net/projects/metaphoneptbr/
tem um driver para postgreSQL, facil de usar com UBUNTU.



>
>
>
>
>
>
>
>
> 2015-10-01 17:20 GMT-03:00 Peter Krauss <ppkrauss em gmail.com>:
>
>> Oi Marcos, que tal organizarmos essa ideia de "metodologia para a
>> organização" num Github?
>> Acho q qualquer um pode iniciar projeto sob https://github.com/OSMBrasil
>> voce inicia um? Se precisar de alguém mais "nerd" para o git, só avisar,
>> posso ajudar ;-)
>>
>>
>> Em 1 de outubro de 2015 15:13, Marcos Fedato <heroijapa em hotmail.com>
>> escreveu:
>>
>>> Oi Lucas,
>>>
>>> Caramba vc tem pensado bastante nisso mesmo kkkk, vou tentar ajudar
>>> também.
>>>
>>> A) Até onde eu estudei, não existe base perfeita. Por exemplo, se a
>>> gente usa ponto coletado por GPS como referência pode ser algo bom, mas
>>> existem deformações também na coleta por GPS causados pela altitude,
>>> qualidade do GPS e tudo mais. Porém eu já vi um fabricante de GPS falar que
>>> pra ele, ele quer mesmo que a base dele tenha a mesma deformação do GPS
>>> pois os usuários dele vão usar GPS para se locomover na cidade, então se
>>> der 5m a esquerda na coleta, provavelmente o GPS do usuario também vai dar
>>> algo parecido a 5m a esquerda, no final o ponto cai no meio da rua. Então
>>> nada é perfeito, é preciso entender o que é a verdade conveniente para nós
>>> kkkkk. Eu acho que essa de assumir o OSM uma boa.
>>>
>>> B) O processo que um colega meu tinha desenhado uma vez era "faseado",
>>> primeiro se achava os que batiam tudo pelo nome, depois se ajustava eles
>>> com o arruamento, depois se ajustava os setores vizinhos, depois fazia uma
>>> junção espacial dos vizinhos com as quadras do arruamento abaixo deles,
>>> depois se validava os atributos entre eles...
>>> Uma época eu até estudei se a gente conseguiria fazer uma comparação de
>>> formas de polígonos para validar se a/as quadras do arruamento realmente
>>> batem com as do setor censitário, tipo se no setor censitário a forma é um
>>> quadrado, mas no processo a quadra do OSM abaixo desse setor é triangular,
>>> ou um quadrado girado x graus...
>>> Pois esse colega tinha feito comparações usando a área e o perímetro dos
>>> setores casados, o que já é bom.
>>>
>>> C) Não manjo nada de geometria direto no banco assim, mas talvez ele
>>> esteja reprocessando o buffer a cada rodada, talvez poderia se criar uma
>>> coluna da geometria com buffer preencher ela uma vez e então usar essa
>>> coluna.
>>> Menos impactante deve ser o join com os 2 ands, se eu me lembro bem no
>>> geocodigo do município já tem o estado, então não precisa fazer join com o
>>> estado, o municipio só já é estado e município.
>>>
>>> D) Já usei um processo parecido desse de ordem alfabética quando eu
>>> queria cruzar 2 bases de dados usando as esquinas para achar os pontos de
>>> referência. O que eu tinha em mente é que eu não precisava achar tudo, se
>>> eu achasse 40% sei lá, o resto eu faria o processo de alinhar pelos
>>> vizinhos, extrapolando o deslocamento de um para outro. Porém o que a gente
>>> pode fazer é usar comparação de nome a nome ao invés de somar tudo. de
>>> depois fazer o join de volta e ver quantos nomes bateram.
>>>
>>> Podemos implementar no post-gis, ou implementar uma ferramenta de carga,
>>> que crie um campo novo já tipo "nome_fonetico" e usar esse campo pré
>>> processado no processo.
>>>
>>> E) Fato, o que pode ser feito é usar o vizinho mesmo para veridficar
>>> qual é o correto e inferir o nome se o vizinho já tiver sido encontrado.
>>>
>>> F) Tem mesmo muita coisa diferente. Eu sou muito bom em regex, essa
>>> parada aí eu topo, da pra fazer alguma coisa com certeza, demora, não vai
>>> ser perfeito, mas com testes a gente chega lá.
>>>
>>> G) O cep tem n possibilidades dentro do DNE tem um tipo do cep, que
>>> podia ser igual dos dois lados, diferente, usando numeração sequencial e
>>> não metrica... fato é que nem sempre é igual, mas pode ser usado nos casos
>>> em que for igual.
>>>
>>> Att
>>> Marcos Fedato
>>>
>>>
>>> ------------------------------
>>> Date: Wed, 30 Sep 2015 10:20:55 -0300
>>>
>>> From: lucasmation em gmail.com
>>> To: talk-br em openstreetmap.org
>>> Subject: Re: [Talk-br] RES: RES: OSM - CNEFE
>>>
>>> ops, mandei acidentalmente antes de terminar. Retomando no ponto C
>>>
>>> C) De fato a podemos usar o shape de setores para aproximar mais o
>>> pareamento espacial (atualmente eu só usei os municípios) antes de parear
>>> as quadras pelo nome. E com isso podemos aumentar ao grau de tolerancia nos
>>> pareamentos fuzzy. Este pareamento OSM - poligonos de setor censitario
>>> também é útil para a outra grande metade do projeto (na qual ainda não
>>> avancei muito) que é sugerir nomes para ruas sem nome no OSM a partir do
>>> CNEFE.
>>> Eu já tentei rodar a query abaixo para fazer isso (resumindo, cruzar
>>> primeiro por uf e municipio, atribuindo codigos para estes nas duas bases,
>>> para reduzir o número de cruzamentos espaciais de fato entre setores e ruas
>>> apenas dentro de cada municipio):
>>>
>>> CREATE TABLE OSM_Streets_by_SetorCensitario2 AS
>>> SELECT OSM_Streets_by_Mun.*, setor_censitarioL.geom
>>> FROM OSM_Streets_by_Mun, setor_censitarioL
>>> WHERE OSM_Streets_by_Mun.cod_UF=
>>> substring(setor_censitarioL.cd_geocodi,1,2)  AND
>>> OSM_Streets_by_Mun.cod_mun= substring(setor_censitarioL.cd_geocodi,1,7)
>>>   AND
>>> ST_Intersects(way,ST_Buffer(setor_censitarioL.geom,0.005))=true
>>>
>>> O problema é que é um cruzamento muito grande. Se bem me lembro, são
>>> ~1.6milhoes de ruas no OSM brasil e 312 mil setores censitarios. Deixei
>>> rodando por 5 dias no servidor (relativamente potente, 126GB de ram, 4
>>> nucleos) e não terminou. Nao sei se tem uma forma de otimizar esta query,
>>> talvez fazendo proceduralmente, num loop, muncipio a municipio (mas isso em
>>> tese as 1as duas condições do WHERE já impõem). Ou entao cruzando com
>>> layers espaciais intermediarios, como distrito e subdistrito antes de ir
>>> pro setor censitario direto (mas não estou conseguindo criar estes layers
>>> com base nos setores censitarios, por causa dos problemas topologicos
>>> destes). Enfim, vou perguntar no StackOverflow para ver se alguém tem uma
>>> idéia.
>>>
>>> D) melhorar as queries textuais, com filtros nos textos e fuzzy acho que
>>> é um ótimo caminho. Uma restrição, pelo menos como eu modelei os dados, é
>>> que estou fazendo pareamento de arrays contendo nomes de ruas, que
>>> internamente são ordenados alfabeticamente (uma linha da tabela representa
>>> uma quadra, e há uma coluna que é um array, e lá dentro tem todos os nomes
>>> de rua, ordenados alfabeticamente). Se o erro ou correção ocorrer no começo
>>> de certo nome de rua, isso vai afetar a ordem alfabetica dos nomes de rua,
>>> e não sei como o pareamento (possivelmente fuzzy) vai reagir a isso.
>>>
>>> Você tem alguma idéia melhor de uma estrutura de dados mais adequada pro
>>> pareamento?
>>>
>>> Outra coisa, estou trabalhando no PostGis-Postgresql então o ideal seria
>>> os "filtros foneticos" serem implementados no próprio Postgis. Tenho boa
>>> familiaridade com R também, então, se precisar sair, a 2a opção mais fácil
>>> de implementar seria o R.
>>>
>>> E) pensei também nos blocos que parearem apenas 3 das 4 ruas. Bom,
>>> considerando apenas quadras de 4 lados, para simplificar, seriam 2 quadras
>>> para cada conjunto de 3 ruas. precisamos de uma forma de definir qual é
>>> qual. Alguma idéia?
>>>
>>> F) voce mencionou uma outra idéia, na qual eu também já trabalhei um
>>> pouco, que é ir seguinto a descrição textual dos setores. Estes aquivos vem
>>> com dois campos: "ponto inicial" e "decrição do setor". Com banstante
>>> traquejo no uso de expressões regulares da para quebrar isso em seguencias
>>> de esquinas (cruzamentos). Mas uma dificuldade é que e linguagem não é
>>> padrão. Como os arquivos são produzidos de forma descentralizada, pelos
>>> ~500 escritórios locais do IBGE, há diferenças ao longo do brasil (talvez
>>> seja por estado). Tem setores que está com "esquina da rua A com a B". Em
>>> outros está "cruzamento rua A e rua B". Isso para o campo "ponto incial". A
>>> descrição de setor tem ainda mais variabilidade.
>>>
>>> G)  Outro elelmento que ainda não eplorei, mas que vem de uma idéia do
>>> Peter Krauss, é que o CEP segue uma estrutura, tal que, cada seguimento de
>>> uma rua, tem o mesmo CEP para as quadras dos dois lados da rua. Isso pode
>>> ser mais um elemento para "amarrar" estes pareamentos de alguma forma.
>>>
>>>
>>>
>>> enfim, estes são menos comentarios sobre as idéias que você mencionou.
>>> Vamos pensar mais nisso para "espremer" tudo de informação últil no CNEFE e
>>> vice-versa
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>> 2015-09-30 9:53 GMT-03:00 Lucas Ferreira Mation <lucasmation em gmail.com>:
>>>
>>> fantástico Marcos,
>>>
>>> eu já "ataquei" várias linhas das que você sugeriu, mas ainda não
>>> completei. Tenho trocado algumas idéias a respeito, off-line do grupo para
>>> não tumultuar muito por aqui, com o  Peter Krauss. Podemos te incluir na
>>> conversa.
>>>
>>> Vamos por partes:
>>>
>>> A) A primeira grande dúvida que eu tenho é quanto podemos confiar no
>>> posicoinamento das ruas do OSM? Por exemplo, quando o shape de setor
>>> censitário e o OSM não batem, como eu posse ter certeza que o certo é o
>>> OSM? Será que o mapeador não se baseou numa imagem de satélite que também
>>> estava deslocada? Enfim, no meu código estou de certa forma tomando o
>>> posicionamento de ruas do OSM como "verdade", mas seria bom pensar um pouco
>>> melhor nisso. Eu vi nos vídeos do SotM-Latin-America-2015 um cara da Mapbox
>>> apresentando como eles tem umas técnicas para corrigir o posicionamento de
>>> ruas do OSM, que aplicaram no Japao e em Lima.
>>>
>>>
>>> B) Agora de manhã estou trabalhando nesta idéia de usar os quarteiroes
>>> que parearem e que sejam setores de um só quarteirão como pontos de
>>> controle para corrigir a malha de setores censitarios.
>>>
>>> Dos 95mil  quarteiroes que eu consegui parear, 952 são setores com um
>>> único quarteirão (que são os que de fato podemos parear no momento). Estes
>>> 952 setores são de 81 municípios (eu estava com esperança de que seriam
>>> mais). Para estes eu vou calcular a distancia (ST_distance) e o angulo
>>> (ST_Azimuth) entre os centroides das quadras pareadas do OSM e do CNEFE.
>>> Como você falou isso vai nos dar uma lista de pontos de controle.
>>>
>>>  Com isso podemos:
>>> b1) ter uma lista de "margens de erro" do shape de setor censitário para
>>> cada municipio (ou melhor pros 81 muncípios em que há estes casos). Isso
>>> serve para definir o buffer (max(ST_distance) para usar quando parear o
>>> shape de setores censitarios com os ruas do OSM (como você sugere).
>>> b2) Usar os pontos de controle para corrigir o shape de setor
>>> censitario. Isto é, fazer uma transformação afim (que estica partes do mapa
>>> e contrai outras partes) com base nestes pontos.
>>>
>>> C) De fato a podemos usar o shape de setores para aproximar mais o
>>> pareamento espacial (atualmente eu só usei os municípios) antes de parear
>>> as quadras pelo nome. E com isso podemos aumentar ao grau de tolerancia nos
>>> pareamentos fuzzy. Este pareamento OSM - poligonos de setor censitario
>>> também é útil para a outra grande metade do projeto (na qual ainda não
>>> avancei muito) que é sugerir nomes para ruas sem nome no OSM a partir do
>>> CNEFE.
>>> Eu já tentei rodar uma query para fazer isso
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>> 2015-09-30 9:14 GMT-03:00 Marcos Fedato <heroijapa em hotmail.com>:
>>>
>>> Caros,
>>>
>>> Eu trabalhei alguns anos com essa parte de endereçamento e tenho muito a
>>> ajudar nesse processo do CNEFE.
>>>
>>> Além dos acentos e da lógica fuzzy (que pode adicionar erros), podemos
>>> usar alguma coisa de fonética brasileira(que pode adicionar erros) e
>>> tabelas auxiliares(que pode adicionar erros) com nomes padrão, dando
>>> replace em erros conhecidos de grafia (AKA: juscelino kubitschek é
>>> difícil de escrever).
>>>
>>> Tem esse algoritimo em Delphi que eu achei uma vez, que faz um trabalho
>>> fantastico de fonética BR (tecnicamente não é BR é do Portugês) (AKA:
>>> soundex não é bom para matches exatos) http://pastebin.com/KpYxxw5e.
>>>
>>> Vamos supor que o "quarteirão" tenha 4 ruas e 3 delas tem nome no OSM e
>>> estes nomes batem, a gente pode supor que a rua que faltou no OSM tem o
>>> nome da rua que sobrou no CNEFE.
>>>
>>> A gente pode usar não só os municipios, mas também os setores
>>> censitários para achar exatamente onde estão os nomes faltantes.
>>>
>>> Os setores censitários tem uma tabela de descrição do entorno. É um
>>> campo de texto livre para cada setor falando as ruas por onde ele é
>>> delimitado. Com alguma inteligência a gente pode quebrar esse campo em ruas
>>> e cruzar com o OSM também.
>>>
>>> O problema conhecido de cruzar diferentes bases de dados espaciais é o
>>> deslocamento que pode haver entre uma e outra, tenho alguns esboços
>>> interessantes de como resolver isso saíndo do mundo tabular e utilizando
>>> GIS.
>>>
>>> Minha ideia se baseia em 2 coisas, achar alguns setores por cidade onde
>>> tudo bate e usar eles como referência de posicionamento. Depois extrapolar
>>> o erro destes setores para os setores próximos encaixando eles no lugar
>>> mais próximo do correto. (se o setor que a gente sabe que bate com o OSM
>>> estiver 5m para a direita, o setor vizinho dele estara provavelmente a algo
>>> próximo de 5m a direita também, pois eles tem paredes que se tocam)
>>>
>>> Existe também o problema de ruas que de fato mudaram de nome, podemos
>>> usar a tag old_name do OSM neste processo, se o nome do CNEFE constar lá,
>>> não é erro, realmente foi mudado o nome da rua.
>>>
>>> Então os dados seriam OSM(Vetor, Name, Alt_Name, Official_Name, Ref,
>>> Old_Name, No_Name), CNEFE, Shapes dos setores censitários, Descrições dos
>>> setores censitários.
>>>
>>> Pegar as áreas verdes (acho que village_green e park) com nome seria
>>> legal também, pois muitas praças dão nomes a logradouros, mas nem sempre
>>> isso se reflete na base de arruamento.
>>>
>>> Eu quero muito de ajudar nisso, estudei isso do OSM e do CNEFE bastante
>>> tempo e por isso tenho bastante conhecimento para tal, se tiverem interesse
>>> em expandir essa conversa além da lista (dá uma preguiça de escrever e a
>>> discussão demora, principalmente para brain storming) estou disposto a
>>> participar de discussões via áudio sobre o tema em horário não comercial e
>>> depois a gente pode colocar na lista um resumo para não perder o histórico.
>>>
>>> Sou programador experiente, posso ajudar a desenvolver rotinas de
>>> transformação de texto, consultas e análises espaciais necessárias para
>>> esse processo.
>>>
>>> Parabéns pelo trabalho até então, essa iniciativa é 10, somando esforços
>>> a gente vai destruir de deixar o OSM completo!
>>>
>>> Atenciosamente
>>> Marcos Fedato
>>>
>>>
>>> ------------------------------
>>> Date: Wed, 30 Sep 2015 01:33:03 -0300
>>> From: lucasmation em gmail.com
>>> To: talk-br em openstreetmap.org
>>> Subject: Re: [Talk-br] RES: RES: OSM - CNEFE
>>>
>>>
>>> coloquei agora.
>>> Mudei o codigo mesmo , que estava grande demais pro Readme para
>>>
>>>
>>> https://github.com/lucasmation/osm_cnefe_import/blob/master/OMS_and_CNEFE_blocks_matching.sql
>>>
>>>
>>>
>>> 2015-09-29 15:45 GMT-03:00 Márcio Aguiar Ribeiro <
>>> aguiar.marcio em gmail.com>:
>>>
>>> Oi, Lucas!
>>>
>>> Muito bom! Eu venho planejando fazer isso faz um tempo já. Entrei no
>>> repositório e fiquei fuçando o código e o que eu entendi é que ainda não
>>> está disponível, certo?
>>>
>>> Marcio Aguiar Ribeiro
>>>
>>> 2015-09-28 13:19 GMT-03:00 Lucas Ferreira Mation <lucasmation em gmail.com>
>>> :
>>>
>>> Pessoal,
>>>
>>> retomando este assunto:
>>>  consegui (finalmente!!!) cruzar os quarteirões do CNEFE com os do OSM.
>>>
>>> O Cnefe tem 2.1 milhões de quarteirões.
>>> O OSM tem 1.6 milhões de "quarteirões" (os quarteirões são algo que eu
>>> mesmo crio, a partir da interseção das Ruas do OSM). Destes apenas 480 mil
>>> tem todos os lados nomeados.
>>>
>>> O primeiro critério do cruzamento foi que os quarteirões tinham que cair
>>> no mesmo município (a partir do shapefile de municípios de 2010 do IBGE). O
>>> 2o critéiro foi que os nomes de todas as ruas que compõem o quarteirão
>>> batessem nas duas bases.
>>>
>>> Com este critério consegui identificar 95mil quarteirões do CNEFE no
>>> OSM. Para estes quarteirões temos todos os endereços que estão no CNEFE.
>>>
>>> Os municípios com mais quarteirões são:
>>>
>>> São Paulo - 5mil.
>>> Bejo Horizonte -  3,5mil
>>> Curitiba - 3.2mil
>>> Campo Grande - 2.7mil
>>> Fortaleza - 1.9mil
>>> Ribeirão Preto - 1.7mil
>>> Rio de Janeiro - 1.5mil
>>>
>>> e assim vai. Encontrei quarteirões em 1822 municípios, mas a maioria tem
>>> menos de 20 quarteirões encontrados.
>>>
>>> Isso foi com pareamento extato. Vou começar agora a testar com fuzzy
>>> matches.
>>>
>>>
>>>
>>> ao longo do dia vou migrar o código para:
>>> https://github.com/lucasmation/osm_cnefe_import
>>>
>>>
>>>
>>> Lucas
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>> 2015-07-14 12:12 GMT-03:00 Peter Krauss <ppkrauss em gmail.com>:
>>>
>>> Oi Lucas, ótimo trabalho (!), assim que sobrar um tempo (algum final de
>>> semana) ponho a mão-na-massa, para entender o que voce fez e como podemos
>>> conversar mais tecnicamente ;-)
>>>  (se tiver ilustrações, ex. UML, de modelo de dados para postar no git
>>> também ajuda)
>>> Como sou novato, pretendo seguir um pouco "pelas bordas" e no escopo
>>> mais geral das discussões...
>>>
>>> A ideia geral do projeto de Mapa-do-CEP ainda é rascunho mas pode ser
>>> apreciada em
>>>    http://wiki.okfn.org/Open_Knowledge_Brasil/Mapa-do-CEP
>>> que tal começarmos pelo CEP2?
>>>
>>> - - - -
>>> Quanto os problemas legais (direitos autorais reclamados pela ECT bem
>>> como lei do monopólio) , precisamos de apoio internacional, inclusive da
>>> OSM... Comecei a busca por essa discussão (link abaixo), e senti
>>> receptividade,
>>>
>>> *    http://opendata.stackexchange.com/q/5600/1313
>>> <http://opendata.stackexchange.com/q/5600/1313>*
>>> a parte juridica é importante para não jogarmos nosso tempo no lixo...
>>> Até onde conversei com advogados, se criarmos uma metodologia (algoritmos)
>>> para espacialização do CEP (ver links Wikipedia com preliminares), não tem
>>> problema algum: o primeiro a publicar é o autor... Por isso acho importante
>>> termos resultado a curto prazo de um projeto-piloto com OSM e publicarmos
>>> no http://arxiv.org
>>>
>>>
>>>
>>>
>>>
>>> Em 14 de julho de 2015 11:13, Lucas Ferreira Mation <
>>> lucasmation em gmail.com> escreveu:
>>>
>>> Pessoal, estou colocando o que já tenho de código em:
>>>
>>>
>>> https://github.com/lucasmation/osm_cnefe_import
>>> (que perdoe a lingua portuguesa, escrevi em ingles para poder pegar mais
>>> feedback dos desenvolvedores do OSM no mundo, foruns, etc)
>>>
>>> Peter, bem vindo. Eu usei mesmo esta pergunta do gis.stackexchange. E
>>> elaborei em cima. Esta questão de dois lados do mesmo seguimento de rua
>>> teremo o mesmo CEP eu poderia explorar para melhorar o paramento, mesmo em
>>> quadras não pareadas. Mas o quão certo, 100% é isso?
>>>
>>> abs
>>> Lucas
>>>
>>>
>>>
>>>
>>> 2015-07-13 19:01 GMT-03:00 Peter Krauss <ppkrauss em gmail.com>:
>>>
>>> Oi gente, acabo de me inscrever na lista... Posso participar da
>>> discussão?
>>>
>>> Eu tenho interesse no mapeamento do CEP e do CNEFE, que justamente
>>> ajudam a resolver ambiguidades e
>>> dar mais confiança à geocodificação... Até onde verifiquei, o
>>> Mapa-do-CEP não oferece problema jurídico...
>>> Postei um esboço metodológico da sua construção, na Wikipedia,
>>>
>>> https://en.wikipedia.org/wiki/Postal_code#Codes_defined_indirectly_to_administrative_borders
>>> que acham?
>>> Alguem falou em quadras por aqui, é justamente o foco metodológico...
>>>   http://gis.stackexchange.com/q/80498/7505
>>>
>>> PS: sobre pontos de endereçamento de utilidade publica, um bom projeto
>>> de referencia é o http://adresse.data.gouv.fr/
>>>
>>>
>>> _______________________________________________
>>> Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>>
>>>
>>> _______________________________________________
>>> Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>>
>>>
>>> _______________________________________________
>>> Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>>
>>>
>>> _______________________________________________
>>> Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>>
>>>
>>> _______________________________________________
>>> Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>>
>>>
>>> _______________________________________________ Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>> _______________________________________________
>>> Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>>
>>>
>>>
>>> _______________________________________________ Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>> _______________________________________________
>>> Talk-br mailing list
>>> Talk-br em openstreetmap.org
>>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>>
>>>
>>
>> _______________________________________________
>> Talk-br mailing list
>> Talk-br em openstreetmap.org
>> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>>
>>
>
> _______________________________________________
> Talk-br mailing list
> Talk-br em openstreetmap.org
> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br
>
>
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: <http://lists.openstreetmap.org/pipermail/talk-br/attachments/20151001/a668eea3/attachment-0001.html>


Mais detalhes sobre a lista de discussão Talk-br