[Talk-br] RES: Limite de cidades com distritos

Leonardo Brondani Schenkel leonardo em schenkel.net
Quinta Maio 5 15:34:23 UTC 2016


On 05/05/2016 15:57, Gerald Weber wrote:
> Eu consultei esta tabela, não se trata de governo, são associações
> regionais que substituiram governos regionais que foram extintos. Eu
> entendo então que estas regiões perderam a função político-administrativa.

Beleza. Não discordando, só dizendo que o problema é que o que é
"governo" e "administrativo" também é um termo nebuloso que depende do
leitor. Cada país tem a sua forma de administrar, e a categorização
dificilmente é "bonitinha".

Eu iria responder seus outros pontos não para rebater mas porque são
interessantes e queria continuar a conversa, mas vou fazer diferente:
vou exemplificar como seria a divisão administrativa se eu fosse o
ditador do OSM — e explicar o porquê.

(Antes que eu seja mal interpretado por alguém, enfatizo que isto é
opinião puramente pessoal só a título de conversa, não é uma proposta,
nunca vai ser uma proposta e também não é essa opinião que está
embasando eu defender mudar a forma de representar regiões estatísticas.)

Para mim, no espírito pragmático do OSM que envolve "the truth is on the
ground" e que um mapeador não deveria precisar consultar legislação ou
regulamentos obscuros para saber mapear da forma apropriada, o
`boundary=administrative` deveria ser usado para codificar a estrutura
administrativa como ela é assim PERCEBIDA pelos habitantes daquele
local, independente se tem governo, se é mesmo administrativa na
prática, ou de tecnicalidades de legislação ou qualquer outra coisa.

Basicamente os critérios seriam esses:
- uma pessoa leiga tem conhecimento da existência daquela divisão
- uma pessoa leiga percebe aquela divisão como sendo uma sub-divisão de
uma divisão administrativa maior
- aquela divisão é mencionada regularmente em jornais, noticiário, etc.
- é esperado que apareça em um mapa político-administrativo "normal"

Tudo que não atende aos critérios acima, mesmo que seja administrativo,
é na prática uma região "invisível" pois as pessoas não sabem que
existe. Ela pode e deve ser codificada, mas não via
`boundary=administrative`.

Usando os critérios acima para o Brasil:
1. grandes regiões: SIM
2. estados: SIM
3. mesorregiões: NÃO
4. regiões metropolitanas: SIM
5. microrregiões: NÃO
6. municípios: SIM
7. distritos: SIM (mas não o Sede)
8. sub-distritos: TALVEZ?
9. bairros: SIM

Escrevi "NÃO" para as meso/micro-regiões porque na minha percepção, se
eu pegar uma pessoa aleatória na rua, mesmo que tenha formação superior,
não vai saber dizer em qual micro ou mesorregião ela reside. Talvez nem
saiba o que são, se não lembra mais da escola (isso se aprendeu na
escola). É uma região "invisível": é usada dentro de um gabinete, não
interessa para a população.

Suécia:
1. landsdel: SIM/TALVEZ
2. län: SIM
3. kommun: SIM
4. stadsdelsområde: SIM
5. stadsdel: NÃO/TALVEZ

O "stadsdel" é algo como se fosse o distrito, mas acho que na maioria
das cidades só existe mesmo para efeitos de administração e portanto
também é "invisível" — porque nunca vi evidência física dela existir ou
ser mencionada em lugar nenhum. Minha impressão é que o sueco típico não
sabe quais são ou mesmo que existam. E os bairros, que não estão na
hierarquia hoje, entrariam na hierarquia conforme a minha definição.

// Leonardo.




Mais detalhes sobre a lista de discussão Talk-br