[Talk-br] Hierarquia das rodovias

Fernando Trebien fernando.trebien em gmail.com
Quarta Junho 19 16:29:00 UTC 2013


Hehe Nelson, na verdade eles são iguais. Sempre que surge um novo eu
coloco tanto no fórum quanto no wiki.

A versão em alemão por enquanto tem uma modificação "estética" que eu
não tive tempo de passar para as demais versões. Foi uma solicitação
da comunidade alemã, que se sentiu confusa ao interpretar por onde o
fluxo começava (são 6 entradas possíveis, 1 principal e mais 5 para
quem está usando a classificação do BIT).

Flávio, eu acho melhor manter a especificação da largura. Lembre que
não são só carros que usam as vias, caminhões também, e há carros de
tamanhos diversos. Essa medida saiu da menor classe considerada nos
projetos de estradas do DNIT (tem um link pra esse documento nesse
mesmo artigo no wiki); se uma via é ainda menos larga que isso,
provavelmente não está seguindo um projeto adequado. Uma das coisas
que eu apoiei até agora foi a definição de critérios claros e não
subjetivos; nada é mais claro do que uma medida exata.

O seu item 2 me parece uma leitura quase literal do fluxograma. Por
favor, aponte as diferenças.

O seu item 3 pertence à discussão sobre o que seria uma "living
street" no Brasil. Até agora ninguém (nem mesmo a comunidade alemã)
reclamou dessa definição de living street, mas vamos abrir o diálogo
então. Eu acho útil usá-lo para ruas estreitas e apontei a razão no
meio das discussões: existe a possibilidade de moradores deixarem
carros estacionados no meio do caminho (entre outros objetos),
dificultando a passagem.

No item 4 você deve notar que a seta que sai da caixa "Só 1 faixa por
sentido" e leva a trunk e motorway é a seta "Não", o que implica 2 ou
mais faixas. Eu tenho a impressão que a sua lógica vai tornar o
fluxograma mais complexo e sem benefícios aos usuários do mapa (eles
saberão que trunk é usado em n casos diferentes mas não saberão qual
dos casos é). No final do seu texto eu fiquei confuso se você acha que
trunks e motorways devem todas possuir pelo menos 2 faixas ou não.

No item 5 eu concordo com um critério mais específico sobre "o que é
acostamento", talvez possamos estabelecer uma largura mínima, o que
você acha? Seria legal descobrir se o DNIT tem essa especificação em
algum lugar.

No item 6 todas as caixas que possuem vários itens (isso inclui a
primeira caixa e também a caixa que distingue motorway de trunk)
significam que todos os critérios têm que ser satisfeitos para seguir
pelo lado "Sim" do fluxo. Se um deles não for satisfeito, é "Não".
Realmente é melhor escrever isso no wiki, pra deixar claro, ou até
mesmo mudar o texto no gráfico.  Me parece que mudar para "velocidade
permitida" seria um problema porque que nessas vias geralmente não há
sinalização de velocidade (pelo menos em Porto Alegre quase não há).
Eu discordo de eliminar esse item porque senão você poderia acabar
tendo uma via residencial de 2km de comprimento, fácil de trafegar,
ampla, sem obstáculos, e ela seria considerada "inferior" a outras
terciárias que são muito mais difíceis de trafegar (e muito
provavelmente menos importantes).

Existe um problema em definir "quando" essa discussão está madura. Há
semanas ninguém mencionava qualquer coisa sobre ela. Há pouco alguém
disse que concordava com o meu ponto de vista original (que a
classificação deveria seguir a hierarquia administrativa), que é como
as outras comunidades têm feito pelo mundo. Ou seja, acho que sempre
haverão posições divergentes. Eu tenho me esforçado para extrair o
consenso, mas não é possível fazer isso se as pessoas não
participarem. Eu criei uma enquete no fórum sobre diferenças entre
motorway e trunk e absolutamente ninguém respondeu até agora.

Então, Flávio, como já passou um certo tempo e já trocamos mais de 150
mensagens a respeito e no final ninguém mais discordou, eu vou tentar
encaixar as suas observações no fluxograma SE elas não o tornarem mais
complexo do que já está (para facilitar para os iniciantes) E se
parecerem úteis a mais pessoas E não houverem posições contrárias. Uma
coisa que você pode fazer é baixar o fonte do fluxograma (o link está
lá no fórum: http://forum.openstreetmap.org/viewtopic.php?id=21275),
alterá-lo e compartilhar conosco para que possamos dar as nossas
opiniões também. Se você não mexer com o yEd você pode até fazer um
rascunho por cima (com algo como o Paint) que se houver apoio eu mudo
no fluxograma depois.

2013/6/19 Nelson A. de Oliveira <naoliv em gmail.com>:
> Flavio,
>
> 2013/6/19 Flavio Bello Fialho <bello.flavio em gmail.com>:
>> Antes de mais nada, devo dizer que o fluxograma está muito bom, de forma
>> geral. Há, contudo, alguns aspectos que ainda podem ser aperfeiçoados:
>
> A última versão seria esta: http://i.imgur.com/ih2G92Y.png
> Ela já contempla vários aspectos que você citou e acredito que esteja
> muito boa para classificar a grande maioria das vias.
>
> _______________________________________________
> Talk-br mailing list
> Talk-br em openstreetmap.org
> http://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br



-- 
Fernando Trebien
+55 (51) 9962-5409

"The speed of computer chips doubles every 18 months." (Moore's law)
"The speed of software halves every 18 months." (Gates' law)



Mais detalhes sobre a lista de discussão Talk-br