[Talk-br] Why Imports in OpenStreetMap Are Controversial

Fernando Trebien fernando.trebien em gmail.com
Terça Fevereiro 4 23:26:12 UTC 2014


Importar ou não importar, eis a questão. Com um mapa vazio, há poucos
interessados. Com um mapa cheio, pode ser que esteja cheio de erros.
Já pensei muito sobre essa questão. Se forem poucos os erros, acho
menos pior do que estar vazio porque um mapa cheio desperta o
interesse das pessoas; isso nos leva a ter mais olhos pra descobrir os
erros e mais mãos dispostas a corrigi-los, desde que não sejam muitos.

Em boa parte é por isso que todas as importações têm que ser
discutidas com a comunidade e algumas amostras apresentadas, para que
as pessoas possam avaliar a qualidade da informação, se deve ser
melhorada antes da importação, etc. E isso sem contar as questões
jurídicas.

Eu penso que se uma fonte de dados está uns 20% errada, ela ainda pode
ser importada em certas situações (como aqui, que diferente do Rio tem
poucas mãos e olhos à disposição). O grande poder do OSM é que os
moradores locais podem clicar em "Editar" e consertar qualquer coisa
que acharem de errado, e eles bem podem fazer isso com os dados
oficiais "quase certos".

Ao mesmo tempo, edições manuais, mesmo baseadas em survey, também não
estão livres de erros. Às vezes foi a placa que estava no lugar
errado, feita errada ou desatualizada. Outras vezes foi o mapeador que
se enganou em meio aos seus inúmeros registros coletados. Eu admito já
cometi vários erros óbvios, uns por bobagem momentânea, outros por
estar cansado demais (mas depois voltei pra consertar - acho que
consertei tudo). Outras vezes o mapeador não tomou o cuidado devido ou
não está a par de tudo que há no wiki (quase ninguêm lê tudo afinal),
é complicado e talvez injusto exigir isso de todos. Quem sabe quando o
mapeador contratado pelo governo foi fazer o seu survey ele não passou
por uma situação parecida? Enfim. Mapear está mais fácil hoje, mas
ainda assim é uma tarefa bastante complexa.

As pessoas presumem que se o mapa está "cheio" é porque está correto,
daí se frustram quando descobrem que estava errado, especialmente se
descobrem isso num momento inconveniente. Por isso, com frequência a
gente tem recomendado que certas importações levem uma tag "fixme", e
por isso que tem visualizações pra essa tag e vários sistemas
validadores que a detectam (pra incentivar as pessoas a consertar os
problemas). Certas coisas são impossíveis de confirmar ou mesmo de
confeccionar, mesmo com survey, então de fato a informação oficial
pode ser a melhor disponível (ex.: os aglomerados subnormais, as
reservas naturais, os dados de vegetação). Cada caso tem que ser
analisado em detalhes, não adianta muito generalizar contra ou a favor
das importações. (É o que eu acho.)

On Tue, Feb 4, 2014 at 8:59 PM, Wille <wille em wille.blog.br> wrote:
> Compartilho um texto muito bom sobre a questão das importações no OSM:
> http://blog.emacsen.net/blog/2014/01/25/why-imports-in-openstreetmap-are-controversial/
>
> _______________________________________________
> Talk-br mailing list
> Talk-br em openstreetmap.org
> https://lists.openstreetmap.org/listinfo/talk-br



-- 
Fernando Trebien
+55 (51) 9962-5409

"The speed of computer chips doubles every 18 months." (Moore's law)
"The speed of software halves every 18 months." (Gates' law)



Mais detalhes sobre a lista de discussão Talk-br